Criação

Criação

O ROTTWEILLER ESTÁ ABRANGIDO POR LEIS GOVERNAMENTAIS ESPECÍFICAS?

Existem alguns países, como por exemplo Portugal e Espanha, onde são aplicadas medidas especificas para a raça Rottweiler e seus proprietários.

São exemplo disso a obrigatoriedade de o cão usar açaime e trela (max 1m) quando passeado na via publica, obrigatoriedade de um seguro de responsabilidade civil, Obrigatoriedade de colocação de Micro chip, Obrigatoriedade de proceder à castração/esterilização caso o exemplar em causa não tenha LOP (Caso de Portugal), o proprietário do cão não deverá ter qualquer cadastro, o cão deve ser anualmente registado na Junta de Freguesia da residência (caso de Portugal), entre outros.

O ROTTWEILER É UM CÃO AGRESSIVO?

Não. Um Rottweiler com bom Pedigree (Certificado genealógico), boa educação e sociabilização não trará problemas de maior. Contudo, será um cão que quando provocado, o seu dono ameaçado ou o seu território invadido, poderá impor-se. Nunca deve ser estimulado a ser agressivo e o seu instinto nato de guarda deve ser moldado através de treino.

É DISPENDIOSO TER UM ROTTWEILER

Será importante perceber que o custo de ter um cão, não está apenas no ato da compra, mas sim em todos os aspetos inerentes à sua vida e bem estar. São exemplo disso, os cuidados de saúde, alimentação de qualidade, treino adequado, obrigações legais, entre outros. Se considerarmos todos estes aspetos, poderemos dizer que ter um Rottweiler, é dispendioso.

O ROTTWEILER PODE VIVER NUM APARTAMENTO?

Sim, embora não seja a situação ideal. Esta opção vai exigir mais dos seus donos, requerendo maior atenção e passeios frequentes ou longos. O cão não deve estar confinado a uma divisão/varanda afim de evitar o stress que o pode tornar agressivo e/ou destruidor. Um bom quintal/terreno (com uma vedação alta) onde o cão possa estar solto na ausência dos donos seria o adequado. Contudo, existem inúmeras pessoas que relatam com sucesso a vivência de um Rottweiler em apartamento.

É VERDADE QUE O ROTTWEILER SÓ ACEITA UM DONO?

Todos os cães, por natureza, elegem (visível ou não) um dono e o Rottweiler não foge à regra. Dado tratar-se de um cão com um forte caráter, é fundamental que exista alguém com pulso para a sua educação no sentido de o orientar e mostrar que ele é o ultimo na hierarquia familiar. Certifique-se que em casa todos vão respeitar o cão, as normas impostas para a sua educação, bem como não exista receio de cães. O Rottweiler é um excelente cão de companhia e adora ser inserido na vida familiar. Assim, podemos dizer que um Rottweiler, poderá “responder” e obedecer aos vários elementos de uma familia.

OS ROTTWEILERS SÃO PERIGOSOS PARA AS CRIANÇAS?

Em condições normais, um cão equilibrado, educado e sociabilizado integrará bem uma família e será tolerante para as crianças. Estas, também devem ser orientadas e supervisionadas enquanto na presença do cão. Os perigos existentes passam pelo porte do cão que numa brincadeira pode “atropelar” uma criança. É importante dizer que cada caso é um caso e como em qualquer outra raça, a tolerância varia de cão para cão. As fêmeas poderão ser a melhor opção. Gostaríamos de salientar que, se em ambiente familiar o relacionamento cão/criança deve ser sempre vigiado, fora dele é obrigatório. As crianças que encontramos na rua poderão não estar familiarizadas com cães, podem fugir em pânico, serem bruscas e/ou agressivas. O cão, perante estes cenários, poderá despertar em si os seus instintos naturais de defesa ou de presa.

TENHO UM ROTTWEILERS E ESTOU A ESPERA DE BEBÊ, O QUE FAZER?

A existência de um Rottweiler no seio familiar, não deverá ser impeditiva para a chegada de um bebé. A integração é perfeitamente possível, não devendo o cão passar para segundo plano (menos atenção, menos passeios, perca de liberdade, etc.).

A apresentação do bebé, inicialmente, pode ser feita de forma indireta, tendo o cão contato com o odor da roupa da criança recém nascida. Inclusive, recorrer a um boneco que pode ser vestido com essas mesmas roupas e o qual emite sons similares a uma criança. Ainda assim, com naturalidade e sentido de responsabilidade, a integração pode ocorrer de forma natural.

OS ROTTWEILERS PODEM ANDAR SOLTOS?

A lei é igual para todos, ou seja, quando passeado na via pública, o cão deverá estar sempre à trela (Consoante o país poderão haver obrigações adicionais). É preciso saber respeitar quem tem medo de cães e quem não gosta deles. Aliado a estes aspectos há que ter em conta que um cão solto na rua pode provocar acidentes de viação, pelos quais o dono será responsabilizado. Como em tudo na vida, os descuidos ou o excesso de confiança pode levar aos acidentes. Para nós, que sofremos do estigma de ter um Rottweiler, cuja reputação erradamente é aquilo que se sabe, devemos contribuir diariamente para inverter esta situação, cumprindo com as obrigações exigidas.

COMO SE DÃO OS ROTTWEILERS COM OUTROS CÃES?

Um cão equilibrado, educado e sociabilizado desde cachorro com outros animais não trará problemas de maior. O relacionamento entre cães do mesmo sexo é sempre mais complicado se ambos tiverem um caráter forte. Estas situações verificam-se na disputa de um lugar, brinquedo, comida ou por um canídeo do sexo oposto. O relacionamento entre cadelas poderá complicar-se na altura do cio. A tolerância poderá variar de cão para cão, mas o Rottweiler devido à sua capacidade de aprendizagem poderá ser moldado.

Se já tem cães, deve considerar o seguinte:

Caso já existam cães residentes na casa, todo o processo de integração, poderá ser mais delicado. A integração, irá depender de aspetos como a experiencia dos donos, o temperamento dos cães envolvidos (residentes e recém chegado) e a própria logística da casa (mecanismos para os cães – se necessário – viverem separados).

A apresentação do novo cão, deve ser feita em território neutro (aproveitar a rua / um passeio), evitando a apresentação no espaço já pertencente aos residentes. Esta situação pode gerar agressividade territorial.

QUAL A MELHOR OPÇÃO, MACHO OU FÊMEA?

Se for o seu primeiro cão, poderá ser preferível optar por uma fêmea. Estas são mais tolerantes, mais fáceis de treinar, menos corpulentas e talvez mais apegadas ao dono. No entanto, não pense que não são excelentes guardas ou menos destemidas. Os machos são fortes, de caráter vincado, e devido ao facto de amadurecerem mais tarde, poderão ser mais “trabalhosos” de treinar.

O ROTTWEILER É UM CÃO QUE LADRA DE FORMA “SISTEMÁTICA”?

O Rottweiler não é o tipo de cão que ladre sem razão, fá-lo apenas em situação de guarda. A probalidade de incomodar os vizinhos é baixa.

QUAL O MELHOR SÍTIO PARA COMPRAR UM CACHORRO?

A escolha de um Rottweiler, no caso da compra, não deve passar apenas pelo seu valor de venda, mas sim pela qualidade genética do cão. Recorrer a criadores ligados ao clube da raça, deve ser a primeira opção. Ainda assim, a exigência de quem compra não deve ser descurada ou facilitada. Os criadores devem mostrar disponibilidade, conhecimento e serem exigentes com o perfil de quem lhes compra um cachorro.

A tentação de comprar em lojas ou através de amigos que facilitam a venda, deve ser evitada. Aquilo que pode parecer uma boa opção, a médio longo prazo, pode ser uma fonte de problemas (saúde – comportamento).

O facto de não se desejar um cão para exposição ou provas de trabalho, não deve ser razão para descurar as preocupações inerentes a uma boa seleção. Os exemplares mais equilibrados tem na sua ascendência progenitores que foram validados nos seus aspetos morfológicos e funcionais.

O QUE EXIGIR DE UM CRIADOR?

É importante sentir e perceber que o criador é uma pessoa séria e conhecedora da raça; compete em exposições/provas de trabalho; apresenta certificados de Displasia (válidos para reprodução); os reprodutores estão à vista; identifica os exemplares; e possui infra-estruturas visíveis para a criação. Deve ser alguém que se interessa por conhecer quem lhe quer comprar um cachorro, assim como, tenta saber quais as razões e condições do comprador. Deverá ainda ser conselheiro sobre o comportamento da raça, principalmente na fase de crescimento do cachorro.

Nota: O licenciamento de canil (emitido pela DGAV), deve ser exigido ao criador, garantindo que o mesmo está em conformidade com a legislação portuguesa, inerente à criação de raças consideradas “potencialmente perigosas”.

ADOTAR UM ROTTWEILER

A possibilidade de adoção não deve ser descurada, nem tão pouco vista com apreensão. No entanto, é importante conhecer o melhor possível os antecedentes do cão a adotar e aferir se os mesmos, se adequam à nova casa e ao novo dono. Caso estes requisitos sejam validados, a adoção e a idade não devem ser um obstáculo.

Em caso de cães que apresentem um temperamento mais complicado e um caráter mais forte, é recomendável que adoção seja feita por pessoas experientes.
Adotar um cão é um ato de nobreza e não uma experiencia.

O QUE É PARVOVIROSE?

Denomina-se Parvovirose à doença infecto-contagiosa provocada pelo “parvovirus canino”. Este vírus apresenta tropismo para as células em multiplicação activa como as células cardíacas e as células do intestino. A destruição celular vai provocar morte súbita no caso de atingir o coração (forma cardiaca) e gastroenterite quando há destruição das células intestinais (forma entérica). Estas duas formas da doença são provocadas por duas estipes diferentes sendo a mais prevalente a estirpe responsável pela forma entérica.

A gastroenterite provocada pelo parvovirus tem como principais sintomas o vómito, a diarreia (a maior parte das vezes hemorrágica e de odor pútrido característico), febre, prostração e desidratação. Os sintomas surgem 4 a 7 dias após a exposição ao vírus.

O parvovirus é transmitido por via fecal-oral ou seja as fezes são a principal fonte de transmissão tendo-se chegado à conclusão que a simples fração de 1 grama de fezes infectadas têm quantidades de vírus suficientes para provocar doença a 5000 cães susceptíveis.

Sendo um vírus dotado de uma grande resistência no meio ambiente há possibilidade de transmissão da doença através de fomites (objectos inanimados). O vírus resiste até oito meses no meio ambiente. A desinfecção do local infectado pode ser feita com uma diluição de 1/32 de hipoclorito de sódio ( lixívia).

A vacinação é o único meio de prevenção e controlo da infeção. É importante a vacinação materna pois esta possibilita uma passagem de imunidade da mãe para o filho através do colostro ( 95% da imunidade ), esta proteção conferida pelos anticorpos maternos começa a ser ineficaz apartir das seis semanas, altura em que o cachorro deve iniciar o seu esquema de primovacinação. Durante a fase de primovacinação o cachorro deve ser protegido de modo a evitar a infeção, logo quer o contato com animais exteriores quer os passeios na rua devem ser evitados.

Dr. Bruno Mendes

QUAL O PESO IDEAL DO MEU CACHORRO?

É de referir que estes são valores médios de referência e que não diferenciam machos de fêmeas.

Por outro lado cada animal é um caso individual pois o seu peso num dado momento varia com o tipo de alimentação, exercício e informação genética.

Para avaliar se o animal esta dentro dos parâmetros normais de peso é importante ter em conta a estatura do animal, a sua massa muscular e também a massa adiposa(condição corporal).

Dr. Bruno Mendes